No dia 28 de novembro, seis projetos foram premiados, no evento de encerramento do Programa Educacional de Eficiência Energética (PEEE) promovido pela RGE (Rio Grande Energia), em Caxias do Sul. O evento premiou os três primeiros colocados da turma da indústria e também os três primeiros colocados do poder público e instituições sem fins lucrativos. 

Todos os projetos têm como objetivo principal o uso mais racional da energia elétrica nos seus espaços.

Dentre os colocados da indústria, o aluno Anderson Rogério Dornelles dos Santos, da empresa Toldo S/A, ficou em primeiro lugar. O projeto prevê a troca de um compressor de ar na empresa aumentando, assim, a capacidade de geração e aliviar a carga. Os demais colocados foram, em segundo lugar, o aluno Ismael Carlos Ferla, da empresa Maison Forestier Comércio de Vinhos e Espumantes e em terceiro lugar Silvia Feistler Rocha, da Gecele Metalúrgica.

Na turma voltada ao poder público e instituições sem fins lucrativos, o primeiro e segundo lugares ficaram com alunos da Fundação Universidade de Caxias do Sul. Em primeiro lugar, ficou o projeto da aluna Elisa Pinheiro Dalla Palma, que prevê a substituição de lâmpadas menos eficientes por iluminação de alta eficiência, diminuindo o consumo. Na segunda colocação, ficou a aluna Pricila Klein e, em terceiro, Delton Picolo, da Prefeitura de Bento Gonçalves.

O presidente da RGE e RGE Sul, José Carlos Tadiello, destacou a relevância dos projetos apresentados “Para a RGE é muito importante e gratificante ter este viés educacional na sua atuação. Nós incentivamos sempre que o consumo de energia seja consciente e que todos os nossos clientes possam adotar métodos tecnológicos não apenas para reduzir a conta de energia, mas para usá-la da melhor maneira possível”.

Os prêmios para os 6 colocados foram notebooks, tablets e smartphones. Entre os meses de março e novembro, mais de 600 alunos participaram do Programa Educacional de Eficiência Energética, que promoveu aulas teóricas e a elaboração de projetos práticos de uso eficiente de energia elétrica. Agora os projetos poderão ser aplicados nas empresas e instituições aos quais os participantes estão vinculados.

O curso, que integra o Programa de Eficiência Energética da RGE, ocorreu de forma semipresencial, com todos os conteúdos disponibilizados em um sistema online. Foram realizados três encontros presenciais em Caxias do Sul e Passo Fundo. Um dos principais objetivos da capacitação, era gerar um portfólio de eficiência energética personalizado para cada órgão ou empresa; reduzir o consumo de energia e, assim, os custos nesses locais; fomentar a cultura do consumo consciente de energia elétrica; e capacitar os funcionários de empresas e instituições, clientes da RGE, para que possam identificar melhorias no consumo nas suas instalações.

Segundo o coordenador do Programa de Eficiência Energética da RGE, Odair Deters, é necessário trabalhar, de maneira sistemática, projetos de educação para o consumo de energia, seja com pequenos, médios ou grandes clientes, como é o caso da maioria das indústrias e órgãos ligados ao poder público, como os hospitais. “Projetos como este levam informação aos clientes. Instigamos todos a pensarem, junto com a distribuidora de energia, em ações para que o consumo de energia seja mais eficiente e racional”, ressalta Odair.

Deters também frisa que, a partir de capacitações como a do Programa Educacional de Eficiência Energética, as empresas podem apresentar projetos de eficiência energética mais completos nas chamadas públicas divulgadas anualmente pela RGE, quando as ações passam a ter apoio financeiro da distribuidora para sua concretização.

A duração do curso foi de 260 horas e contou com o suporte de tutores durante todo o processo. O investimento na execução deste programa foi superior a R$ 2 milhões, custeando todos os materiais para as aulas, bem como a presença de instrutores.

 

 

Quer saber mais sobre energia?

 

Acesse os demais conteúdos do nosso blog e siga nosso Instagram:

@luxfortdobrasil.com.br

Essa notícia não é de autoria da Luxfort do Brasil, os créditos e responsabilidades sobre o seu conteúdo são do site original, com exceção de notícias que tenham necessidade de transcrição.

 

Se quer visualizar esta notícia em seu site original, clique aqui.