usina solar em Palmeira

 

O estado do Paraná tem grande potencial para geração de energia solar, sendo maior do que a maioria dos países europeus, onde atualmente, está concentrada grande parte da capacidade mundial instalada. A média de radiação solar no Paraná é 55% superior à do Reino Unido e 43% superior à da Alemanha.

 

Ainda assim, de acordo com dados do Atlas de Energia Solar do Paraná, das 4,5 milhões de unidades consumidoras da Companhia Paranaense de Energia (Copel), apenas 1.547 – cerca 0,03% – usam o sol como fonte para a produzir energia elétrica. Esses dados tendem a mudar, devido a atuação de empresas que estão investindo na instalação de usinas fotovoltaicas no estado e ainda esse ano (2019) uma dessas usinas deve ser construída na cidade de Palmeira –PR.

 

A primeira usina solar privada do Brasil deve operar um modelo de Mini Geração Distribuída na cidade. Este projeto é resultado de um consórcio entre empresas nacionais e internacionais, liderado pela empresa curitibana FAAD Consultoria.

 

Segundo Marcos Nógas, diretor-presidente da empresa, a energia gerada no local poderá ser compensada pelas empresas que utilizam a produção da Copel. De forma estratégica a cidade de Palmeira, com cerca de 35 mil habitantes, foi escolhida para abrigar o projeto.

 

A geração de energia elétrica através da energia solar não está mais tão distante da realidade dos brasileiros. No ano de 2018, o Brasil ultrapassou a marca histórica de 2 mil megawatts (MW) de potência operacional da fonte solar fotovoltaica, conectados na matriz elétrica nacional. A ABSOLAR (Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica), estima que o setor ultrapasse a marca de 3 mil MW até o final do ano de 2019, atraindo ao país mais de R$ 5,2 bilhões em novos investimentos privados.

 

A partir desses dados, estima-se que o crescimento anual do mercado deve chegar a 88,3% em comparação a 2018, o que ajudará a acelerar a economia nacional.

 

O diretor comercial da Ademilar, André Luiz Marini, afirma que um modelo de negócio que tem atraído muito os consumidores para viabilização da instalação de painéis solares é o consórcio. A compra do sistema fotovoltaico, através do consórcio, pode ser realizada se o consorciado optar pelo processo de reforma. As contemplações mensais acontecem por meio de sorteios e lances.

 

Além disso, o consumidor poderá receber consultoria para saber qual sistema fotovoltaico adotar, de acordo com o valor gasto em energia. Os créditos podem variar entre R$ 85 mil reais e R$ 2 milhões, com parcelas a partir de R$ 360.

 

 

 

Quer saber mais sobre iluminação e energia?

 

Acesse os demais conteúdos do nosso blog e siga nosso Instagram:
@luxfortdobrasil.com.br