Uma equipe de pesquisadores da Universidade da Columbia Britânica, no Canadá, liderados pelo professor Vikramaditya Yadav, fizeram uma grande descoberta, de baixo custo e mais sustentável em relação as células solares fotovoltaicas, a biocélula solar (célula solar biogênica). 

 

célula solar

 

Anteriormente, a biocélula solar era desenvolvida a partir da extração do corante natural que as bactérias usam para realizar a fotossíntese. Considerando que esse processo possui alto custo e alta complexidade, os pesquisadores selecionaram uma bactéria específica, a E. Coli (Escherichia coli), bactérias que podem ser cultivadas de forma simples e com baixo custo em laboratórios.

 

A partir do processo de modificação genética da bactéria E. coli, foi possível produzir grandes quantidades de licopeno, um corante muito eficaz na absorção de luz para conversão em energia elétrica. As bactérias receberam um revestimento com um mineral semicondutor e posteriormente foram aplicados em uma superfície de vidro, formando assim a estrutura da biocélula solar.

 

Durante os testes, a célula solar biogênica alcançou uma densidade de corrente de 0,686 miliamperes por centímetro quadrado, uma melhora muito significativa em relação aos 0,362 obtidos em sistemas anteriores. Além disso, a biocélula funciona de forma eficiente tanto em dias de sol, como em condições de tempo nublado. 

 

O professor Yadav acredita que esse processo pode reduzir o custo da produção de corantes,  para cerca de um décimo em relação aos métodos atuais. 

 

 

 

Quer saber mais sobre energia?

 

Acesse os demais conteúdos do nosso blog e siga nosso Instagram:
@luxfortdobrasil.com.br